Além de apresentar a releitura de uma das canções mais icônicas da banda Oficina G3, o novo vídeo de Paulo César Baruk levanta a bandeira da acessibilidade. “Deus Eterno” conta com uma expressiva tradução simultânea em Libras interpretada por Rebeca Nemer, especialista na língua e esposa do cantor.
O single já está disponível no canal Musile Records no YouTube e integra o álbum “Piano e Voz, Amigos e Pertences 2” (PVAP 2), produzido em parceria com o tecladista Leandro Rodrigues.

“Quando há interpretação, os surdos ficam em igualdade no acesso à informação e conteúdo. Alguns deles ficam emocionados, choram, riem…É uma alegria e privilégio ser o ouvido deles em alguns momentos”, diz Rebeca.

Dessa forma, a participação da especialista em “Deus Eterno” também possui o objetivo de incentivar o público do cantor a compreender que o surdo – assim como todo o ser-humano – é um ser musical, e também pode usufruir de seus benefícios.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, cerca de 10 milhões de brasileiros são surdos – fator que comprova a importância da integração desse público nas comunidades religiosas, inclusive evangélicas. Apesar das iniciativas ainda não serem massificadas, creio que o despertar já começou. Há 23 anos, era raro o ministério voltado para eles, mas hoje Deus está levantando muitos para isso”, pondera Rebeca.

Nesse contexto, ela ainda ressalta a participação do esposo na causa. “A interpretação em Libras é algo natural nas apresentações do Baruk. Quando há surdos, ele sempre se comunica com eles. É uma festa só!”.
Além de “Deus Eterno”, o álbum PVAP 2 conta com outros momentos emocionantes, como as releituras de clássicos como “Todo Som” (Resgate) e “Palácios” (Rebanhão). O projeto foi gravado ao vivo no principal auditório da Universidade Mackenzie, em São Paulo, e conta com participações de Paulo Cezar, do Grupo Logos, e Laura Souguellis.
O CD e o DVD já estão disponíveis nas principais lojas e também nas plataformas de streaming e download.

Comentários

Comentários

- Publicidade -